Do conto de Guimarães Rosa ao canto do pássaro pelas madrugadas. Assustado com a poluição sonora das metrópoles, que alterou o horário de sua canção de acasalamento, o Sabiá-Laranjeira parece dizer, a seu modo: “Faz escuro, mas eu canto”. No poema de Thiago de Mello, a inspiração para o nome do Ciclo de Palestras promovido pela Bahema Educação e pelo Centro de Formação da Vila.

Em tempo de horizontes pouco claros, o Ciclo propõe acender lamparinas. A primeira a participar foi a doutora Margareth Dalcolmo, médica e pneumologista da Fiocruz e integrante do Expert Group for Essential Medicines List da OMS, com o tema: “Saúde na Volta à Escola”.

Assista à íntegra da palestra.

Confira a agenda e os próximos participantes do “Faz escuro, mas eu canto” em https://palestras.bahema.com.br/

voltar

topo